Rotas Atendidas

Rio de Janeiro

Capital fluminense a partir de 1975, o Rio de Janeiro foi por quase 200 anos capital da Colônia, do Império e da República, cetro que perdeu em 1960 com a inauguração de Brasília. Reconhecido internacionalmente por suas belezas naturais, alguns dos seus cartões postais, como o Corcovado, o Pão de Açúcar e a Praia de Copacabana, são identificados no exterior com a imagem do país. Mar, montanha e florestas favorecem a prática de esportes e do ecoturismo. Riquíssima também é a sua arquitetura religiosa, revelada nas belas igrejas setecentistas e oitocentistas. Da arquitetura colonial permaneceram verdadeiras relíquias, como o Paço Imperial, primeira residência oficial da Família Real Portuguesa.

O Rio de Janeiro não é conhecido como cidade maravilhosa por acaso. Em que outro lugar do Brasil, ou mesmo do mundo, o turista encontra uma mistura tão irresistível de encantos naturais, riqueza cultural e hospitalidade? Seja qual for o seu programa favorito – visitar cartões postais, frequentar praias desertas, deliciar-se com bons pratos, curtir a vida noturna ou apreciar a beleza arquitetônica - a cidade tem opções de sobra. E ainda oferece, como atração à parte, a simpatia e a cordialidade do povo carioca. Por isso, aproveite um final de semana, um feriado, suas férias dos sonhos, o maior Réveillon do mundo ou o Carnaval para fazer uma visita. Com toda certeza, essa será a primeira de muitas.

Belo Horizonte

A cidade foi construída de forma planejada, inspirada nos modelos urbanos de Paris e Washington. A concepção urbanística coube ao engenheiro paraense Aarão Reis. De traçado geométrico, com ruas em formato quadriculado e avenidas no sentido diagonal, Belo Horizonte concentrou os edifícios públicos, estabelecimentos comerciais e as principais obras de infra-estrutura no limite da avenida do Contorno, que circula toda a área central - ainda hoje referência para a cidade

A capital é emoldurada pela serra do Curral e apresenta diversas atrações em sua paisagem urbana, com destaque para o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e da praça da Liberdade. A Pampulha foi erguida entre 1942 e 1943, durante a administração de Juscelino Kubitschek (1902-1976) na prefeitura O Conjunto Moderno da Pampulha, candidato ao título “Patrimônio da Humanidade” possui valor universal excepcional em função de grande significado para as gerações presentes e futuras da humanidade. É um marco vivo, íntegro e autêntico da história da arquitetura mundial e da história brasileira e das Américas.

O conjunto reúne características que exemplificam conceitos-chave da arquitetura moderna mundial, tais como a estrutura em concreto armado, a planta livre, as amplas janelas e fachadas de vidro que possibilitam o diálogo entre o interior e o exterior da edificação. Porém apesar destas características, na Pampulha, o estilo arquitetônico adquire feições únicas e regionais que irão influenciar e gerar transformações na arquitetura moderna brasileira e mundial. É conformado por cinco edifícios articulados em torno do espelho d´água de um lago urbano artificial – a Lagoa da Pampulha. São eles: a Igreja São Francisco de Assis, o Cassino (atual Museu de Arte da Pampulha), a Casa do Baile (atual Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte) e o Iate Golfe Clube (hoje Iate Tênis Clube), construídos quase simultaneamente entre 1942 e 1943, e a residência de Juscelino Kubitschek (atual Casa Kubitschek), construída em 1943.

A cidade possui bairros com forte vocação para diversos tipos de comércio - do popular ao de alto luxo - e vida noturna intensa, que lhe deu o título informal de "a capital dos barzinhos", pela quantidade de estabelecimentos espalhados pelos bairros. Outras atrações são o estádio Mineirão, o Museu Histórico Abílio Barreto, os parques Municipal e das Mangabeiras, o Palácio das Artes e a praça do Papa, de onde se tem uma excelente vista panorâmica.

Brasília

Brasília começou a existir na primeira Constituinte no Império Brasileiro, em 1823, numa proposta colocada por José Bonifácio de Andrada e Silva, argumentando quanto à necessidade da mudança da Capital para um ponto mais central do interior do país e sugerindo ainda para a cidade o próprio nome que a tornou famosa em todo o mundo. A vocação mística de Brasília se inicia quando é incorporada à sua história a visão soft do santo italiano, São João Bosco - Dom Bosco. Ele dizia ter sonhado com uma espécie de terra prometida para uma civilização do futuro, que nasceria situada entre os paralelos 15° e 20°, às margens de um lago.

Para a construção de Brasília, vieram pessoas de várias regiões do país. Eram os pioneiros, em busca de melhores condições de vida, deslumbrados pela possibilidade de trabalho e atraídos pela proposta de uma remuneração melhor. Eles viveram na chamada "Cidade Livre", hoje Núcleo Bandeirante e também na Vila Planalto. Muitas construções - diversas delas em madeira, são conservadas até hoje e fazem parte do patrimônio histórico da cidade. Assim, a cidade recebeu sotaques, cultura e costumes de indivíduos que vinham de todas as regiões do Brasil, mobilizadas rapidamente para a execução deste grandioso empreendimento histórico.

A população da cidade é predominantemente jovem. Talvez por suas diferenças culturais e diversidade de costumes, esses jovens não incorporaram à sua pronúncia qualquer dos sotaques regionais trazidos de tantos locais. Às festas, aos costumes, ao folclore, à cultura, certamente devem permanecer enraizados os regionalismos mais fortemente ensaiados aqui pelas correntes migratórias vindas de todos os pontos cardeais. O tempo e essa gente vêm definindo o que fica e o que sai de lá. Esses jovens vão, progressivamente, marcando a identidade cultural da cidade.

Patrimônio Cultural da Humanidade. Este é o título maior conferido à arquitetura de Brasília, pela Organização das Nações Unidas - ONU. Lúcio Costa, seu projetista urbanístico, e Oscar Niemeyer, o arquiteto das mais importantes edificações de Brasília, conseguiram a harmonia plena entre volumes, espaços e formas. A linha do horizonte foi preservada como característica do relevo natural e a cidade é apenas cortada no azul degradê do seu céu. Os extensos gramados verdes e os jardins coloridos são o tom natural conferindo às edificações, que parecem não ter peso sobre o solo. As linhas arquitetônicas adotadas para as fachadas e colunas de sustentação dos prédios são de beleza ímpar. As fachadas envidraçadas dos modernos edifícios comerciais, espelham a cidade, multiplicando o reflexo das belas imagens arquitetônicas como um sonho futurista.